Edital

horarios-natal-2017-2018

jornalAgora2017-10-13pag07-2

 

CHAPA INSCRITA PARA A ELEIÇÃO DO SINDICOM – QUADRIÊNIO 2018-2022

Diretoria Executiva
Presidente: Rolemberg Macedo dos Santos
Vice presidente: Antônio Carlos Lemos Santana
Secretário: José Adauto dos Santos Vieira
Tesoureiro: Eduardo Oliveira Carqueija
Dir. Sindical: Eduardo Oliveira Carqueija Junior

Conselho Fiscal
Jorge Antônio Braga
Edilton Leite Medeiros
Waldeck Caricchio

Suplentes do Conselho Fiscal
Taiza Moitinho Souza Lima
André Luiz de Aquino Nogueira
Newton Isozaki

Suplentes de Diretoria
Edinaldo Cabral Velanes Junior
Celso Rosa
Paulo Roberto de A. costa
Mariene dos Santos Dórea
Edilson Neves Xavier

6 DICAS PARA CAUSAR UMA PRIMEIRA IMPRESSÃO DE CONFIANÇA

Postado em Notícias

Não cruzar os braços, ficar atento à conversa e não pegar o celular são algumas formas de ganhar a confiança das pessoas.

reynermedia-flickr
Quando conhecemos uma pessoa, em poucos segundos desenvolvemos nossa opinião sobre ela. Essa conclusão é rápida, automática e difícil de ser alterada. Uma primeira impressão ruim pode até mesmo atrapalhar a vida de um empreendedor, pois, durante o crescimento de um negócio, é essencial que parceiros, fornecedores e clientes confiem nele.

Segundo Travis Bradberry, presidente da TalentSmart, empresa especializada em orientação profissional, existem algumas atitudes que o empreendedor pode ter para fortalecer sua imagem. Veja elas abaixo:

1. Deixe a outra pessoa falar primeiro

Em uma reunião, quando o empreendedor se precipita a falar primeiro, fica subentendida a imagem de que ele tem necessidade de dominância. Esse tipo de atitude dificulta a formação da confiança entre os envolvidos na conversa, o que pode atrapalhar as decisões que serão tomadas. "Confiança e afeto são criados quando as pessoas se sentem compreendidas, e é preciso que os dois lados compartilhem muita informação para isso acontecer", diz Bradberry.

2. Tenha uma linguagem corporal positiva

Mesmo quando não falamos, nosso corpo se expressa por nós. Braços cruzados, pernas inquietas e expressões de cansaço ou tédio podem atrapalhar a formação de uma boa primeira impressão. "Manter um tom de voz entusiasmado com a conversa, contato visual constante e inclinar o corpo um pouco para frente são boas práticas de linguagem corporal que podem ajudar no processo", recomenda Bradberry.

3. Não pegue o celular

O especialista afirma ser impossível construir uma relação de confiança com uma pessoa enquanto ela usa um celular. Segundo ele, quando alguém se compromete a começar uma conversa, é preciso manter toda a atenção no que é dito. "Nada distrai mais uma pessoa do que ler uma mensagem de texto no celular", afirma.

4. Tenha tempo para conversas fiada

Mesmo que pareça perda de tempo, Bradberry diz que uma boa forma de construir uma relação de confiança com alguém é conversar sobre bobagens de vez em quando. "Parece trivial, mas pesquisas apontam que começar uma reunião com cinco minutos de conversa fiada ajuda a melhorar os resultados", diz.

5. Ouça com atenção

Não adianta apenas escutar, "é preciso se concentrar em tudo que a outra pessoa está falando, em vez de apenas planejar o que será dito em seguida", afirma Bradberry. Fazer perguntas sobre o tema é uma ótima maneira de o empreendedor demonstrar que está atento à conversa, mas é preciso ter cuidado para não desviar de assunto. "Também não se deve dar conselhos ou soluções de forma muito precipitada. Esse tipo de atitude dá a impressão de que o empreendedor tem coisas mais importantes para falar e quer terminar logo com aquele assunto", diz.

6. Faça sua lição de casa

Em geral, as pessoas adoram quando alguém se dá ao trabalho de pesquisar mais sobre a vida delas. Saber se alguém já escreveu um livro ou trabalhou fora do país, por exemplo, são boas maneiras de fortalecer a confiança. "E isso é bem simples de fazer, mas não se deve ser invasivo demais. Uma breve checada no perfil da pessoa no LinkedIn, por exemplo, é suficiente para aprender mais sobre alguém", explica Bradberry.

Fonte: http://revistapegn.globo.com/

SIMPLES NACIONAL NÃO PRECISA, POR ENQUANTO, DA CONTABILIDADE DIGITAL

Postado em Notícias

Receita Federal estipulou que empresas de outros sistemas de tributação adotem a Escrituração Contábil Digital para repassar situações fiscais

MEI-vs-Simples-Nacional

A Receita Federal do Brasil (RFB) determinou que as empresas forneçam suas informações contábeis, referentes ao ano fiscal de 2015, por meio da Escrituração Contábil Digital (ECD), método que substitui e sepulta os antigos Livro Diário e Livrão Razão, impressos.

O ECD conterá uma assinatura eletrônica, o E-CPF (certificado digital) de dois representantes da empresa: o contador e o administrador da sociedade (ou responsável administrador). O prazo para que as empresas enviem o ECD à RFB termina no próximo dia 30 de maio. Esta determinação, no entanto, exclui as empresas optantes pelo Simples Nacional.

O ECD com o E-CPF deve ser adotado pelas organizações que optaram por outros sistemas, como o lucro presumido e o lucro real, além das Pessoas Jurídicas Imunes e Isentas e as Sociedades em Conta de Participação (SCP). Mas a tendência é que o sistema eletrônico seja exigido de todos.

"As MPEs (micro e pequenas empresas) optantes pelo Simples estão fora deste procedimento estipulado pela Receita Federal, sem prazo determinado para que elas também sejam inseridas", explica o analista do Sebrae Minas, Haroldo Araújo. Entretanto, ele acredita que, como se trata de uma norma, ela pode ser alterada a qualquer momento.

Fonte: http://revistapegn.globo.com/

5 dicas básicas para abrir um e-commerce de sucesso

Postado em Notícias

Antes de colocar o comércio eletrônico no ar, o empreendedor deve pesquisar a melhor tecnologia e definir uma logística eficiente.

comercio-eletronico
As vendas pela internet no Brasil estão em alta. Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o faturamento neste ano deve ser de quase R$ 57 bilhões. Com perspectiva de crescimento nos próximos anos, ainda há espaço para mais negócios na esfera virtual. E o empreendedor deve aproveitar essa onda.

Mas, antes de abrir o seu comércio eletrônico, deve dar uma olhada nas cinco dicas abaixo. Elas podem ajudá-lo no sucesso da empresa virtual.

1. Escolha da plataforma
Por meio da plataforma o lojista apresenta seus produtos aos consumidores e disponibiliza soluções de pagamento. Os modelos existentes no mercado são diversos. Avalie se o layout de loja e as formas de pagamento oferecidas estão de acordo com as suas necessidades. Leve em conta também o atendimento que a empresa oferece, pois é através desta plataforma que você administrará a sua loja virtual.

2. Provedor confiável
Uma loja virtual fica aberta 24 horas por dia, sete dias por semana. Por isso, um domínio fora do ar pode significar prejuízo nos negócios. Na contratação do provedor, vale até gastar um pouco mais, se isso for garantir um serviço de qualidade.

3. Formas de pagamento
Meios de pagamento ágeis e seguros fazem toda a diferença no comércio eletrônico. Quanto mais formas você oferecer, mais clientes vai satisfazer. O meio mais usado para o pagamento de compras virtuais atualmente é o cartão de crédito, mas não se deve descartar outras possibilidades, como os cartões de débito, de lojas, boletos, transferências bancárias e até o celular.

4. Logística precisa
É obrigação do lojista garantir que os produtos vendidos em seu comércio eletrônico cheguem ao cliente no prazo certo e em perfeitas condições. O custo disso não é baixo, e deve constar nas despesas totais de implementação da loja virtual. O serviço completo de logística inclui a recepção das mercadorias, a estocagem, o deslocamento dos produtos para preparação do pedido e, finalmente, a estrutura de transporte para a entrega dos itens.

5. Atendimento confiável
Para efetuar a compra em uma loja virtual, o cliente precisa confiar naquele site. Afinal, o pagamento é feito antes do recebimento da mercadoria. Oferecer um serviço eficiente de atendimento ao cliente pode ajudar o consumidor a se sentir mais seguro. Uma equipe bem treinada e pronta para sanar dúvidas faz toda a diferença. Entre as ferramentas disponíveis para suprir essa necessidade, chats online, e-mail e atendimento telefônico.

Fonte: http://revistapegn.globo.com/

6 dicas para engajar seus funcionários

Postado em Notícias

Conseguir engajar o seu time em uma cultura de resultados é um grande desafio para os empreendedores.

startup - planejamento - reuniao

Que a cultura de resultados pode beneficiar qualquer tipo de empresa, até mesmo as do setor de entretenimento, como a Netflix, nós já contamos para você. Agora, vamos entrar em outra parte fundamental para que essa cultura floresça na sua empresa: o engajamento do seu time.
Separamos aqui algumas dicas que podem ajudar a sua organização nesse processo:

1. Desenvolva a sua própria cultura de resultado

Se você quiser abrir uma porta, mas não possui a chave certa, não adianta forçar a fechadura, ela não irá abrir. Você pode tentar inserir a chave de diversos jeitos, mudar a pressão que você está fazendo ao rodar a chave, mas de nada vai adiantar. A única saída é ir e procurar a chave certa para aquela porta.

Por que estamos falando de chaves em meio ao tema de cultura de resultados? É simples: De nada adianta você ler todos os textos e artigos sobre a cultura de resultados da Google se a sua empresa tem um perfil totalmente diferente do dela.

Você deve sempre pegar essas informações e adapta-las ao seu negócio. Escolha a chave certa que a porta sempre abrirá sem resistência ou barulho.

2. Aprenda a delegar tarefas

Quando estamos há muito tempo em um mesmo negócio, tendemos a acreditar que somos sempre os profissionais mais aptos a resolver determinado assunto, mesmo que, em nosso time, exista alguém mais especializado que nós. Em uma cultura de resultados, isso não pode acontecer. É preciso delegar as tarefas e fazer com que as metas sejam compartilhadas por todos do time.

Mas ei, nada de querer impor o seu método de trabalho para outros funcionários. Cada um deles deve ter autonomia para entregar seus resultados, desde que, claro, estejam fazendo isso de acordo com as políticas da sua empresa.

3. Crie objetivos claros

Com metas claras, fica mais fácil para os seus colaboradores organizarem a sua agenda e realizarem o trabalho da maneira mais eficaz possível. Não tenham medo de repetir uma, duas, cem vezes, se for preciso, mas todos têm que sair com as metas alinhadas e as ideias claras.

Imagine que a meta da sua empresa seja captar novas parcerias. Para isso, você convocou seu time e disse: captem X novos parceiros. No entanto, ao acompanhar as metas dos colaboradores, você percebe que eles realmente estão fechando novos contratos, mas com empresas que não fazem nenhum sentido com a sua causa ou até mesmo com o que você está planejando.

No fim do dia, um número não basta – seu time precisa saber exatamente o que é esperado deles e como conectar essas metas com a visão da empresa.

4. Engaje seus Funcionários

Sabemos que engajar seus colaboradores nunca é uma tarefa simples, ainda mais se tratando de metas e resultados, mas essa não é uma missão impossível. Que tal aplicar essas duas dicas?

• A parte no todo: Os funcionários, todos eles, sim, T–O-D–O–S, devem estar engajados na sua causa, seja ela qual for. Peguemos a Disney, por exemplo. Como a instituição faz para que todos os seus colaboradores se sintam impulsionados a replicar a ideia de que "nós criamos felicidade"? Isso exige transparência e identificação com a causa.

• Desenvolva a "cabeça de dono": Com mentalidade de dono queremos dizer para você explorar a responsabilidade de seus funcionários com as suas metas, mas, mais que isso, fazer com que eles se sintam donos dos seus próprios projetos e tenham autonomia sobre eles. Quando você empodera uma pessoa, elas são forçadas a adquirir uma visão do todo e têm mais liberdade para tomar decisões melhores e mais ágeis.

Já imaginou se, nesse momento, eles têm um insight sobre algo que vai revolucionar a sua empresa?

5. Menos é mais

O fato da sua equipe ter que estar alinhada aos objetivos da empresa não significa fazer reuniões de 3 horas, todos os dias da semana. Até porque você precisa de um período a ser analisado, antes de analisar alguma coisa.

Otimize seu tempo, faça no máximo uma reunião de resultados por semana. Seus funcionários irão agradecer e a sua empresa também. Afinal, se, com 8h de trabalho, 4h forem de ações que não ajudam no atingimento da meta, nada faz sentido, não é mesmo?

6. Comemore!

Depois de muito trabalho duro e algumas dores de cabeça, chegou a hora de comemorar com o seu time. Essa é uma parte muito importante da cultura de resultados, afinal, todos batalharam muito para que o objetivo fosse alcançado e todos os envolvidos merecem o devido reconhecimento.

Fonte: http://revistapegn.globo.com/